Área de treinos

sndkuabduiqwubiuwqbiwnswsiuhswuohsq
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 A caminhada noturna do Cão Negro.

Ir em baixo 
AutorMensagem
STEVE



Mensagens : 149
Data de inscrição : 18/05/2014

MensagemAssunto: A caminhada noturna do Cão Negro.   Dom Out 25, 2015 12:34 am



*Tudo teve início em uma noite simples. Em meio a madrugada no apartamento que era o "QG" do clã prata, um dos três membros acordava em plena noite. Ele vestia-se, trocando sua roupa de dormir, pegava sua katana e saía silenciosamente sem ser notado. Suas habilidades furtivas eram notáveis. Ele tinha esse entre outros dons.
*O clã prata era conhecido por ter o "rei imortal", Isana Yashiro, o mais antigo rei vivo. Ao longo dos anos ele apenas havia se escondido em seu dirigível, voando sob os céus até o fim de sua vida interminável. Porém, certos acontecimentos acarretaram em mais dois membros em seu clã: Neko, uma strain com poderes hipinóticos e metamorfose felina, e um homem chamado Kuroh Yatogami, conhecido como "Cão Negro". Um membro de lealdade e honra indiscutíveis. E, sim, era Kuroh que acordava aquela noite.
*Kuroh era um leal seguidor de Ichigen Miwa, o falecido rei incolor. Naquela noite ele saía caminhando pela cidade. Kuroh era um homem de pele branca e olhos azuis, com longos cabelos negros presos em um rabo-de-cavalo. Sua vestimenta consistia em uma jaqueta preta elegante com gola alta e detalhes dourados, sobre uma blusa social branca com uma gravata preta um pouco frouxa. Ao final, ele trajava uma calça preta com sapatos e levava seu sabre embainhado na altura da sua cintura, no lado esquerdo.

- [...]
*A expressão facial de Kuroh era típica de alguém que estava sem sono por incômodo. Havia algo diferente. Seus passos na calçada da cidade ecoavam pelo silêncio da madrugada e sua pele se arrepiava um pouco com o frio sereno. Seus cabelos também balançavam conforme o vento batia. Apesar disso, o Cão Negro parecia ser uma pessoa calma e equilibrada. Enquanto caminhava ele pensava sobre o retorno de Shiro, e tudo que passaram sem ele.
*Após alguns minutos caminhando, Kuroh se deparava com alguns jovens que pareciam embriagados em um beco escuro. Não era algo incomum de se ver, pois na idade que os jovens aparentavam ter era normal saírem a essa hora para terem um pouco de diversão, então Kuroh ignorava. Mas logo sua atenção era chamada quando um dos jovens sacava um palmtop e referia-se ao Cão Negro como "recompensa por pontos".

- Esses arruaceiros devem ser da Jungle.
*Em uma rápida análise, Kuroh concluía que eram membros do clã verde, a Jungle, cujo estavam caçando membros de alguns clãs por pontos, como se fosse uma espécie de jogo rankeado. Essas informações eram concebidas pelo rei azul, Munakata Reisi, com objetivo de deixá-los alerta a qualquer atitude anormal em seu meio.
*Logo uma máscara com visor verde se formava nos jovens e não lhe restava dúvidas sobre quem eles eram. Em reação, Kuroh rapidamente se preparava para o combate, sacando sua katana e colocando-se em posição.

- Não pensem que irei me segurar por estarem nesse estado.
*Distribuindo cortes precisos e golpes bem aplicados, um a um iam sendo derrotados pelo Cão Negro. Meros peões do rei verde não eram páreo para as habilidades de Kuroh, uma vez sendo o braço direito do rei prata. Porém entre os jovens membros da Jungle, restava um que tentava fugir rastejando-se pelo chão, com cortes superficiais que o feriam bastante. Kuroh impedia que ele fugisse, virando-o de barriga para cima. Amedrontado, o jovem perguntava: - "D-Deixe-me ir! O que você quer?!". Friamente, e em um tom calmo de voz, Kuroh respondia olhando fixamente nos olhos dele.
- Vocês não estavam aqui por acaso. Leve-me onde os membros da Jungle que vigiam essa área da cidade se escondem.
*O jovem não tinha escolha a não ser levá-lo, uma vez a mercê de Kuroh, que se demonstrava astuto em reconhecer que membros de um clã não iriam vadiar à noite atoa por aquelas bandas.
*O destino era um galpão abandonado com alguns barris acesos para dar iluminação, uma pista de skate, bebidas e garrafas quebradas e certa de trinta jovens com aparelhos digitais na mão, outros comemorando, dançando ao som da música alta... uma verdadeira algazarra, de modo que não incomodava os vizinhos, pois era próximo a uma floresta, e, bem, não haviam vizinhos.
*"Boom!" As portas do local eram abertas com força por um corpo arremessado, e em seguida um vulto passava. A música parava e toda atenção era prestada no corpo: era o jovem que havia levado Kuroh lá. As lâmpadas se quebravam e a penumbra subjugava o local. Logo eram ouvidos alguns gemidos de dor e o barulho de passos rápidos, junto ao de corpos tombando contra o chão.

- Desculpem-me por ter que dar um fim à festinha de vocês.
*Kuroh parecia sério, apesar de sua tranquilidade. Em resposta, a mesma máscara se formava no rosto dos jovens restantes. Ainda eram muitos em número, mas as habilidades do Cão Negro iriam triunfar certamente. Eles começavam a atirar na direção de onde vinha a voz. Suas armas possuíam balas verdes que chegavam a brilhar no escuro, mas logo colidiam contra algo metálico que fazia faísca ao defender. Sim... era a katana de Kuroh. O Cão Negro voltava a fazer sua investida. Ele parecia dançar em meio ao escuro, derrotando seus oponentes com movimentos graciosos, eliminando-os rapidamente.
*Alguns minutos eram passados e apenas restava um homem em pé, e não haviam dúvidas de quem era. Kuroh mais uma vez havia provado seu valor derrotando alguns dos milhares de homens que perseguem seu rei. Ele fechava seus olhos por alguns poucos momentos enquanto o vento batia em seu rosto.

- Já deve estar amanhecendo... preciso retornar.
*E de fato, já eram visíveis os primeiros raios de sol. Uma manhã linda estava nascendo, e Kuroh estava retornando para casa. Sua consciência estava mais leve e sua sensação de incômodo parecia ter sumido.
*Ao chegar em casa, Kuroh tomava um banho relaxante e quente, e sentava-se na cama. Não havia mais tempo para dormir, pois Shiro e Neko já iriam despertar para ir à escola, e Kuroh teria que cuidar deles; assim encerrando uma história onde, novamente, o Cão Negro mostrava o porque de ser temido.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
A caminhada noturna do Cão Negro.
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Clo (Clomipramina - Anafranil) tratando enurese noturna.
» Quadro-Negro
» Carta de despedida: um negro gay, pobre e feio de São Paulo.
» Estática - (a caminhada do menino)
» Nasa divulga algo saindo de um buraco negro

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Área de treinos :: Sua primeira categoria :: Lutas-
Ir para: